Ana terra

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6124 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de julho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
www.literapiaui.com.br

Ana Terra
(Érico Veríssimo )
ROTEIRO BIBLIOGRÁFICO
Érico Veríssimo nasceu em dezembro de 1905. Seu pai sonhava mandá-lo estudar em Edimburgo, capital da Escócia... O menino foi estudar num colégio de Porto Alegre e nunca chegou à universidade. Trabalhou em secos e molhados, foi bancário e acabou sócio falido de uma farmácia. Não acabou nem curso ginasial aquele filhode fazendeiros ricos, mas arruinados, para o qual o pai sonhava até com uma universidade escocesa. O boticário também falhou. Um boticário que passava horas, por trás de um balcão, devorando Ibsen, Wilde, Shaw, De Foe, Dickens, Calsworthy, Norman Douglas e Machado de Assis. E ficava irritado quando alguém entrava na farmácia para comparar algum remédio. Mas encontrou o seu caminho: a Literatura.Em 1930 já tinha publicado alguns contos e em 1932 estréia com Fantoches. Em 1931 casa-se com D. Mafalda. Tinha na cabeça um montão de planos, de romances de literatura, mas no bolso apenas trezentos mil réis. De Fantoches (1932) até Incidente em Antares (1971) foi uma longa estrada de altos e baixos, mais aqueles do que estes. Foi criando, paciente e inteligentemente a sua obra, uma das maissignificativas da novelística brasileira. Em 1935 nasce a filha Clarissa (a Clarissa do romance nascera em 1933). No ano seguinte nasce Luís Fernando. Em 1941 visita os Estados Unidos: da viagem de três meses nasce “Gato Preto em campo de neve”. Em 1943, 44, 45 volta aos Estados Unidos, dando cursos e fazendo conferências sobre o Brasil, sua história e literatura. Em 1944, o “Mills College” lhe confereo diploma de doutor “honoris causa” em literatura. Em 1946 sai A Volta do Gato Preto, novas crônicas sobre os Estados Unidos. No ano seguinte começa a sua grande epopéia sobre o Rio Grande do Sul: O Tempo e o Vento. De 1953 à 1955 é Diretor do Departamento de Assuntos Culturais da União Pan-Americana em Washington. Visitando o México em 1955 colheu todo o material do seu livro: México – Históriaduma viagem (1957). Só em 1959 Érico Veríssimo viaja para a Europa. Da visita à Grécia deverá nascer um livro de crônica (Sol e Mel) temporariamente abandonado para a criação do Senhor Embaixador (1965). Érico Veríssimo é mais do que um escritor, um homem aberto à compreensão do mundo. No final de sua autobiografia – admirável romance e história cujo personagem principal – ele mesmo – demonstrauma imensa simpatia humana ao lado de excelente literatura – confessa: “Poucas coisas haverá na vida mais tristes que a solidão e o anonimato. Por outro lado, porém, é muito desagradável, além de absurdo, quando um escritor passa a ser tratado mais como um assunto, uma notícia do que como um ser humano. Reajo com a maior veemência, procurando manter o meu copyright individual e evitando cair emdomínio público. Horroriza-me a idéia de ser transformado num medalhão. Não quero ser estátua, seja de busto ou de corpo inteiro. Não quero ser nome de praça ou rua. Não quero e não hei de me candidatar à Academia Brasileira de Letras. Não tenho o menor apreço por títulos e condecorações. O que desejo, isso sim, é leitores, e amigos, amigos e mais amigos.” (259) De 1932 (Fantoches) até 1971 (Incidenteem Antares), não são apenas 39 anos de vida, mas 29 anos intensos de uma carreira literária decisiva: os fantoches se transformaram em realidade. Os personagens, a princípio criados com pena e tinta, vão se mudando em figuras reais de carne e sangue. E não nascem mais do inteiro, mas da vida. A fantasia trabalha, mas não cria ninguém do nada. “Fantoches”, apesar das aparências contrárias, é umlivro muito importante para o estudo de Érico Veríssimo, escritor. Seu autor sabe perfeitamente disso: “Fantoches” é um caderno de exercícios, bem como um mostruário de possibilidades e tendências, onde talvez possamos até encontrar a semente de alguns romances que mais tarde vim a escrever." Pelo livro a gente pode acompanhar bem a aprendizagem, o artesanato literário do futuro romancista. Vai...
tracking img