Análise de poesias de manuel bendeira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (275 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade Educacional de Medianeira - UDC
Acadêmica: Bruna Lotterman
Professora: Cleiser S. Lângaro
Curso: Letras v

Análise das poesias de Manuel Bandeira
MorteAbsoluta

Morrer.
Morrer de corpo e de alma.
Completamente.
Morrer sem deixar o triste despojo da carne,
A exangue máscara de cera,
Cercada de flores,
Queapodrecerão — felizes! — num dia,
Banhada de lágrimas
Nascidas menos da saudade do que do espanto da morte.

Morrer sem deixar porventura uma alma errante...
A caminho do céu?Mas que céu pode satisfazer teu sonho de céu?

Morrer sem deixar um sulco, um risco, uma sombra,
A lembrança de uma sombra
Em nenhum coração, em nenhumpensamento,
Em nenhuma epiderme.

Morrer tão completamente
Que um dia ao lerem o teu nome num papel
Perguntem: “Quem foi?...”
Morrer mais completamente ainda,
— Semdeixar sequer esse nome.

Preparação para a morte e

A vida é um milagre.
Cada flor,
Com sua forma, sua cor, seu aroma,
Cada flor é um milagre.
Cada pássaro,
Com suaplumagem, seu vôo, seu canto,
Cada pássaro é um milagre.
O espaço, infinito,
O espaço é um milagre.
A memória é um milagre.
A consciência é um milagre.
Tudo é milagre.Tudo, menos a morte.
– Bendita a morte, que é o fim de todos os milagres.

:
Os poemas expressam:
* Melancolia;
* Lembrança de coisas belas da vida como a flor,espaço, tempo. Para ele a vida era um milagre, embora não tivesse tido a oportunidade de aproveitá-la;
* Tinha a morte como um mal;
* Tristeza por morrer só, por nãodeixar saudade para ninguém, por não ter ninguém;
* A infelicidade da vida;
* Espera pela morte;
* Morrer sem deixar nada de lembrança de sua história;
tracking img