Amor

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1357 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Amor
“Há uma palavra que nos liberta de todo o peso e sofrimento da vida: essa palavra é amor.” Sófocles O segundo artigo que decidi desenvolver na sequência da minha actividade de escrita de ficção é sobre o amor. Pretendo com a pesquisa levada a cabo, concluir e apresentar a minha definição, para além de identificar as formas de amar existentes na sociedade actual e as fases de vida do amor. Oamor é talvez o maior e mais antigo mistério de todos os tempos. Desde que tomou consciência de si, o ser humano reconheceu a capacidade de amar e ser amado, por isso a definição de amor tem sido discutida e imortalizada em diversos estudos, obras e vidas como a de Ghandi, figura incontornável da defesa do amor como “a força mais subtil do mundo”. Honoré de Balzac foi um dos pensadores do amor,chegando a algumas conclusões que ajudam a entender o seu conceito. Balzac dizia que “o amor é a poesia dos sentidos. Ou é sublime, ou não existe. Quando existe, existe para todo o sempre e aumenta cada vez mais” e que “o amor não é apenas um sentimento: é também uma arte”, para além de ser “a única paixão que não admite nem passado nem futuro”. A verdade é que o amor continua a ser um verdadeiroenigma reduzido, na maior parte das vezes, à relação amorosa, familiar e de amizade. Na procura de uma definição clara do conceito de amor, parece pertinente começar por identificar os estilos de amor existentes na actual sociedade. Estilos de Amor Os estilos, ou tipos, de amor foram identificados inicialmente na Antiga Grécia. “Platão e os seus contemporâneos achavam que o amor residia na alma eque a própria alma (logo, também o amor) tinha três componentes ou dimensões: vísceras, mente e coração” (Marinoff, Lou – 2005). Como consequência, definiram-se na Grécia Antiga os primeiros três tipos de amor: Eros – amor sexual, Philos – amor não sexual e Agape – amor altruísta. Em 1973, Lee distingue seis estilos de amor, dividindo-os em primários e secundários. Os primários, comparou-os às trêscores base (vermelho, amarelo e azul). Os secundários foram comparados às cores mistas, resultando da combinação dos amores com diferentes características. No entendimento de Lee, os principais resumiam-se a três: Éros – paixão | Ludus – jogo | Storgê – amizade Éros é o amor romântico, “que idealiza o amado e procura agradar-lhe” (Oliveira, José Henrique Barros de – 2002). Ludus é o amor em que o“amante joga aos amores, abstendo-se de qualquer dependência ou compromisso” (Oliveira, José Henrique Barros de – 2002). Storgê é o “amor de ternura, afeição, relação” (Oliveira, José Henrique Barros de – 2002) e compromisso. Os secundários também se resumiam a três: Mania – possessão | Pragma – pragmatismo | Agapê – altruismo Mania é o resultado do cruzamento entre Éros e Ludus, dando origem aum amor obsessivo, possessivo, ansioso, dependente e ciumento. Pragma é o amor prático, sensível, realista e mental nascido da combinação de Storgê com Ludus. Agapê é o amor incondicional, puro, altruista e desinteressado, com origem na união de Éros e Storgê.

Assim, o que é o amor? O amor é energia. O amor é a energia que inspira as palavras, os actos, os pensamentos e o crescimento humano.Por outras palavras, o amor é a energia que faz mover o Homem. Esta energia é neutra e única. As formas como se pode transmiti-la é que são inúmeras e poderão ser positivas ou negativas. Esta definição de amor poderá ser considerada, nos dias de hoje, uma utopia, devido às inúmeras desavenças ou guerras existentes na sociedade mundial. A verdade é que o amor é intrínseco ao ser humano e a forma comoé exteriorizado poderá ser condicionada por factores relacionados com a personalidade, o autoconceito, a cultura, a educação, entre outros. Enfim, o amor é a energia que vivemos interiormente e partilhamos com os outros através do respeito, da dedicação, do compromisso, da alegria, da compaixão, do cuidado e do companheirismo. Formas de amar O Homem é um ser relacional, incapaz de viver...
tracking img