Alzheimer

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2272 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
CURSO DE GRADUAÇÃO DE ENFERMAGEM













ELABORAÇÃO DE ESTUDO BIBLIOGRÁFICO QUANTO O AGIR DE ENFERMAGEM AO PACIENTE PORTADOR DE MAL DE ALZHEIMER HOSPITALIZADO.





















FEIRA DE SANTANA

2012


ALLYNE RAYANE


















FEIRA DE SANTANA

2012



1-INTRODUÇÃO:

É perceptível como a população idosa no Brasil está crescendo. Existem aproximadamente 15milhões de idosos em todo o país, segundo estatísticas; com isso o número de idosos demenciados tem sido alarmante e preocupante de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Coloca-se como uma das maiores causas de morbidade entre os idosos, e sua prevalência está entre 2% a 5% dos pacientes com mais de 65 anos de idade (MANFRIM & SCHMIDT, 2006).
Dados demográficos e epidemiológicosindicam que o envelhecimento populacional em todo o mundo trouxe o aumento da prevalência de doenças degenerativas em geral; contudo, a demência do tipo Alzheimer (DTA) é considerada a causa mais comum e a forma mais freqüente de demência nos idosos. A sua prevalência vem aumentando expressivamente entre as diversas faixas etárias. Acomete pelo menos 5% dos idosos com mais de 65 anos, 15% a 20% após os80 anos e 40% a 50% após os 90 anos de idade (MACHADO, 2006; PITELLA, 2006). É responsável pela maior parte das síndromes demenciais, atingindo 50% a 60% dos casos na Europa e na América do Norte. Entretanto, no Brasil não há dados estatísticos concretos; estima-se, porém, que essa demência atinge por volta de 500 mil pessoas (MACHADO, 2006).
O Mal de Alzheimer é uma doençaneuro-degenerativa que provoca o declínio das funções intelectuais, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social e interferindo no comportamento e na personalidade. O mal de Alzheimer é uma doença que se caracteriza por uma diminuição das atividades mentais em especial da memória. De início, o paciente começa a perder sua memória mais recente. Pode até lembrar com precisão acontecimentos de anosatrás, mas esquecer que acabou de realizar uma refeição. Com a evolução do quadro, a doença causa grande impacto no cotidiano da pessoa e afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem. A pessoa fica cada vez mais dependente da ajuda dos outros, até mesmo para rotinas básicas, como a higiene pessoal e a alimentação. O risco de contrair Alzheimer aumenta com a idade,acredita-se que afeta aproximadamente 4% das pessoas com idade entre 65 e 75anos, 10% das que tem entre 75 e 85 anos e 17% de todas as pessoas com mais de 85anos. (MARINHO, 1997).
De acordo com CORRÊA (1996) a doença de Alzheimer é a patologia mais comum no grupo das demências e é a quarta causa de morte de adultos e em 2050 pode atingir 14 milhões de pessoas no mundo. Estima-se que10 á 30% das pessoas com a doença tenham o tipo de doença degenerativa primaria de etiologia desconhecida com aspecto neuropatológica e neuroquímica característicos, essa doença se instala usualmente de modo insidioso e desenvolve-se lentamente, mais continua por um período de anos pode ser curto de 2 a 3 anos.
De início insidioso, lento e de declínio evolutivo, o comprometimento damemória é a manifestação clínica mais marcante da demência do tipo Alzheimer (DTA). Nos estágios iniciais também se observam perdas episódicas de memória, desorientação espacial e temporal, dificuldades e perda de autonomia em atividades complexas e no aprendizado de novas informações. Alterações comportamentais costumam acompanhar essa evolução (MANFRIM & SCHMIDT, 2006; SAYEG et al., 1993).O diagnóstico da demência do tipo Alzheimer (DTA) baseia-se no quadro clínico e na exclusão de outras eventuais causas de demência, apresentando, contudo, dificuldades devido à aceitação da demência como conseqüência normal do processo de envelhecimento. O diagnóstico precoce é fundamental no retardamento do aparecimento de complicações (NITRINI, 2000; MACIEL Jr., 2006).
Este...
tracking img