Agentes de pulpotomia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6131 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra


Departamento de Medicina Dentária, Estomatologia e Cirurgia Maxilo-Facial




Novos agentes de pulpotomia em dentição temporária: a era pós-formocresol




Seminário de Odontopediatria
Coimbra, 30 Outubro 2012







Olavo Guerreiro Viegas
Teresa Joana Duarte

Objectivo
Compreender as vantagens e desvantagensdos vários agentes de pulpotomia usados actualmente em pulpotomias de dentes decíduos através da análise da literatura disponível.


Introdução
Um dos principais objectivos em Odontopediatria é manter a dentição decídua num estado saudável até à erupção dos dentes permanentes. 1 A dentição decídua é essencial para a manutenção do perimetro da arcada dentária, função mastigatória, fala eestética e para a prevenção de hábitos orais parafuncionais. Cáries, traumatismos pulpares e procedimentos clínicos podem conduzir à exposição da polpa saudável e, consequentemente, à perda da vitalidade. Contudo, tal não significa que o dente necessite de ser extraído; este pode ser mantido na cavidade oral, em função, com os tratamentos adequados. Entre estes encontram-se as protecções pulpares directae indirecta, a pulpotomia, a pulpectomia e a apexificação. 2

A pulpotomia é o procedimento clínico efectuado num dente com lesão de cárie profunda adjacente à polpa, em que, para preservar a vitalidade da polpa radicular, é amputada a polpa camaral (coronária). 3, 4 O objectivo deste tratamento é erradicar a infecção bacteriana para obter um estado clínico assintomático do dente tratado até àsua exfoliação. 3, 4

Os diversos agentes terapêuticos e procedimentos descritos na literatura foram classificados por Ranly, em 1994, 5 de acordo com os objectivos do tratamento:
l Desvitalização – utilização de fármacos ou outros métodos que fazem com que a polpa presente no sistema canalar se torne não vital e não funcional (formocresol, glutaraldeído);
l Preservação – asfunções da polpa remanescente sofrem alterações mínimas que são reversíveis (sulfato de ferro, hidróxido de cálcio, MTA, LASER);
l Regeneração – para além de ficar vital e funcional, a polpa radicular estimula a formação de uma ponte dentinária; a técnica regenerativa leva, ainda, a que os odontoblastos rodeiem a polpa (proteínas derivadas da matriz do esmalte)


Para que umapulpotomia possa ser efectuada, têm de estar reunidos os seguintes critérios:
l Lesões de cárie sem possibilidade de restauração simples;
l Ausência de dor espontânea, sensibilidade à percussão, mobilidade, patologia pulpar;
l Pelo menos 2/3 da raiz presente;
l Hemorragia controlada após amputação da polpa camaral;
l Paciente colaborante e passível demonitorização.

Contra-indicações
l Inviabilidade da restauração;
l Presença de abcesso, fístula, reabsorções;
l < 2/3 da raiz presente;
l Dente permanente em pré-erupção;
l Perturbações sistémicas;
l Impossibilidade de controlar hemorragia.

Critérios de sucesso
l Ausência de fístula, edema, dor, mobilidade não fisiológica,reabsorção radicular interna, lesões ósseas, periapicais ou na região da furca;
l Ausência de alterações no padrão de esfoliação;
l Ausência de hipoplasia do sucessor permanente.

Durante décadas, o formocresol (FC) foi amplamente utilizado como agente terapêutico nas pulpotomias. 6 No entanto, surgiram algumas preocupações quanto à toxicidade, potencial alergénico,citotoxicidade e distúrbios sistémicos provocados por este material. 7,8 Outro dos receios que surgiu em relação à utilização do FC dizia respeito à possibilidade de este afectar os dentes permanentes sucessores, podendo conduzir a alterações da sua posição, a defeitos de esmalte e à sua esfoliação prematura em comparação com os seus homólogos (oponente, antagonista). 6,9 Em 2004, a International Agency...
tracking img