Africa e brasil africano

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1969 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha do Livro “África e Brasil Africano”. In: SOUZA, Marina de Mello e. São Paulo: Ática, 2006, 175 p. Por ......................................................................................

Este é com certeza um ótimo texto para se discutir a história da África, principalmente no que tange a contribuição dos africanos na formação da nossa nação, país. Com uma introdução fascinante àhistória da áfrica em relação ao Brasil, esta obra acrescenta muito ao assunto e vem somar aos já conhecidos e excelentes volumes de “História da áfrica” produzidas pela UNESCO. Além disso num contexto atual onde tanto se fala sobre o estudo da cultura afro-brasileira e da história deste continente nas escolas brasileiras, o livro é no mínimo oportuno.
Além de retratar toda a influência dos milhõesde escravos africanos na nossa formação e identidade, a autora também faz um panorama da África em todo o seu continente, através da cultura, história e sociedade tanto antes quanto depois da escravidão. Assim, este livro se torna uma peça se suma importância nas mãos de professores e alunos, transformando-se em um verdadeiro manual didático para o assunto. Porquanto a pesquisa mostra o que há deafricano no país, que vai desde a mestiçagem à incorporação dos elementos africanos no dia a dia.
No primeiro capítulo a África e seus habitantes, a autora vai descrever os aspectos geográficos do continente africano e a forma como vivem estes habitantes, bem como a influência religiosa que sofreram. Irá dizer que os rios são os meios de comunicação mais importantes do continente e que a criaçãode gado na área das savanas atualmente ainda é a principal atividade econômica. Ela enfatiza que pessoas ainda vivem dependendo das condições naturais, ou seja, pastoreando e plantando mesmo depois de mais de cem anos de mudanças.
Fala sobre a variedade de povos, onde os mais antigo que se tem relato surgiu no Egito há 5 mil anos e durou 2 mil anos. Também fala de civilizações em destaque como aMeroe, Núbia e Etiópia, tendo estas duas últimas o cristianismo como religião oficial. Além do cristianismo o texto também fala sobre a expansão do Islamismo e sua influência sobre os povos africanos, onde o mesmo ganhara muita importância no continente.
Relata que existiram povos nômades no deserto do Saara, chamados berbere que criavam camelos e que estes animais facilitaram o comércio peloterreno inóspito. Os comerciantes tuaregues eram os maiores difusores do Islã. Diz que apesar de haver muitos povos arabizados no deserto, existiram povos como os fulas e mandingas que não eram mulçumanos e queriam se manter diferentes.
Nas cidades estavam os ricos, comerciantes, administradores e artesãos onde cada um guardava sua identidade, histórias de antepassados, crenças, línguas e dialetos evivam em harmonia. Os rios a beira do deserto eram fonte de fertilidade, e ajudaram as cidades a se tornarem centros comerciais.
A Professora relata a influência dos povos bantos que se espalharam por diversas regiões da áfrica e se misturaram a outros povos nômades, e a realização da maior migração africana conhecida que fez com que mais da metade de todo o continente falasse uma língua commesma base de formação.
Marina descreve as características destes variados povos baseando-se em grupos linguísticos e diz que este retrato da África pode ser visualizado a partir destes quatro grandes grupos: o afro-asiático, níger-congo, nilo-saariano e cóisan.
Por último a autora termina o capítulo enfatizando como contatos com gente de fora da áfrica ajudou a influenciar e modificar ascaractrísticas destes povos. Pelos mares Mediterrâneo e Vermelho entraram o cristianismo e o Islã, convertendo povos a suas ideias, crenças e valores. Já pelo oceano Índico originou-se uma nova língua e o Atlântico foi a última região a manter contato com outros povos vindos de fora.
No segundo capítulo as Sociedades africanas, a autora irá trabalhar a divisão das sociedades africanas, que vai desde...
tracking img