Admiravel novo mundo de aldous huxley

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 279 (69625 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Aldous Huxley ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

Admirável Mundo Novo
5a Edição Tradução de VIDAL DE OLIVEIRA E LINO VALLANDRO Editora Globo Porto Alegre 1979 Título da edição original inglesa: BRAVE NEW WORLD publicada em 1972 pela Chatto & Windus Ltd., de Londres, na série "The Collected Works of Aldous Huxley" Copyright © 1932 by Mrs. Laura Huxley 1a Edição - abril de 1941 2a Edição - julho de 1946 3aEdição - agosto de 1977 4a Edição — novembro de 1 978 Reeditado por Mara Rosane Noble Tavares

"Lês utopies apparaissent comme bien pius réalisables qu'on ne lê croyait autrefois. Et nous nous trouvons actuellement devant une question bien autrement angoissante: Comment éviter leur réalisation définitive?... Lês utopies sont réalisables. La vie marche vers lês utopies. Et peut-être un sièclenouveau commence-t-il, un siècle ou lêsintellectuels et Ia classe cultivée rêveront aux moyens d'éviter lês utopies et de retourner à une société non utopique, moins 'parfaite' et pius libre." Nicolas Berdiaeff

1

Originalmente, este livro foi digitalizado e distribuído, GRATUITAMENTE pela equipe Digital Source com a intenção de facilitar o acesso ao conhecimento a quem não pode pagar e tambémproporcionar aos Deficientes Visuais a oportunidade de conhecerem novas obras. Se quiser outros títulos nos procure http://groups.google.com/group/Viciados_em_Livros, será um prazer recebê-lo em nosso grupo. Estou reorganizando ou reeditando muitos e-books que circulam na Internet, com o mesmo propósito. Você encontra várias obras em http://livrosdamara.pbwiki.com.br. Guardada as devidas autorias,o conhecimento é livre e pertence a humanidade.

1

2

PREFÁCIO Todos os moralistas estão de acordo em que o remorso crônico é um sentimento dos mais indesejáveis. Se uma pessoa procedeu mal, arrependa-se, faça as reparações que puder e trate de comportar-se melhor na próxima vez. Não deve, de modo nenhum, pôr-se a remoer suas más ações. Espojar-se na lama não é a melhor maneira de ficarlimpo. A arte possui também sua moralidade, e muitas das regras desta são iguais, ou pelo menos análogas, às da ética comum. O remorso, por exemplo, é tão indesejável com relação à nossa arte de má qualidade quanto com relação ao nosso mau comportamento. A má qualidade deve ser identificada, reconhecida e, se possível, evitada no futuro. Esmiuçar as deficiências literárias de vinte anos atrás,tentar remendar uma obra defeituosa para levá-la à perfeição que não teve em sua primeira forma, passar a nossa meia-idade procurando remediar os pecados artísticos cometidos e legados por aquela outra pessoa que éramos nós na juventude - tudo isso, certamente, é vão e infrutífero. Eis por que este novo Admirável Mundo Novo sai igual ao antigo. Seus defeitos como obra de arte são consideráveis; maspara corrigi-los, eu teria de reescrever o livro e, ao reescrevê-lo, como uma outra pessoa, mais velha, provavelmente eliminaria não apenas as falhas da narrativa, mas também os méritos que pudesse ter tido originariamente. Assim, resistindo à tentação de chafurdar no remorso artístico, prefiro deixar o bom e o mau como estão e pensar em outra coisa. Entretanto, parece-me que vale a pena mencionarpelo menos o defeito mais grave do romance, que é o seguinte: O Selvagem é posto diante de duas alternativas apenas, uma vida de insanidade na Utopia, ou a vida de um primitivo numa aldeia de índios, vida esta mais humana em alguns aspectos, mas, em outros, pouco menos estranha e anormal. Na época em que foi escrito o livro, eu achava divertida e muito possivelmente verdadeira a idéia de que osseres humanos são dotados de livre arbítrio para escolherem entre a insanidade, de um lado, e a demência, de outro. Contudo, o Selvagem muitas vezes fala mais racionalmente do que, a rigor, o justificaria sua formação entre os praticantes de uma religião que é um misto de culto da fertilidade e de ferocidade de Penitentes. Nem mesmo o conhecimento de Shakespeare poderia justificar, na verdade, tais...
tracking img