Administração

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2553 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A MODERNIZAÇÃO
CONSERVADORA

Professor: João Carlos

Equipe 10: Jesse Justo
Raianny
Isaac Satiro
Sannatiely Leite

Disciplina: Economia e Mercado



Modernização Conservadora

A modernização conservadora foi um termo utilizado para conceituar o crescimento econômico do Brasil na época da revolução de1964. A intenção era manter o capital em mãos de empresários brasileiros, ou empresas estatais.
A abertura do comercio e a entrada do capital estrangeiros para investimentos no Brasil, após 1964, era feita de tal forma que sempre deveria haver um brasileiro para cargos de alta importância nas multinacionais que estaria sendo trazidas para o País. Esta estratégia ate certo funcionou, porem iniciou umciclo de corrupção instalada no poder publico. Muitas empresas acabaram sendo dirigidas por testas de ferro brasileiros.Ocorria assim, de forma velada, a lavagem de dinheiro.

Empresas fantasmas começaram a proliferar de tal forma que acontecer escândalos e denuncias que não podiam ser acobertados. Iniciou no meio da década de 1970 ate meados da década 1980 um ciclo de investigações quelevou muitas empresas a fechar, ou sair do Brasil. Foi assim que surgiram muitas empreiteiras que prestavam serviços mão de obra terceirizada para outras empresas que executavam projetos fantasmas. Isto acabou gerando obras superfaturadas e desvio do dinheiro para o exterior. Foi neste momento em que ocorreram as construções de viadutos, pontes e estradas que ligavam a lugar algum. O termo tambémé utilizado para designar uma característica da modernidade que não altera a estrutura da desigualdade. O caso clássico é a revolução verde, ou segunda revolução agrícola, onde, por meio de pacotes agroquímicos e sementes modificadas, que modernizaram a produção agrícola, mas conservaram a desigualdade no campo e o aumento da degradação ambiental.



Nos anos 1990, aeconomia brasileira foi marcada só pela recessão do inicio da década, fruto dos efeitos dos Plano Collor 1 e 2, mas também por uma profunda reestruturação produtiva. Essa reestruturação, designada por alguns autores modernização conservadora, ocorreu como desdobramento do esgotamento de modelo de substituição de importações e foi influenciada pelos pressupostos do consenso de Washington, aexemplo do que ocorria em toda a América Latina. Provocou aceleração no processo de privatização de empresas estatais, abertura a economia e desregulamentação dos mercados.

Em 1994, o Brasil adotaria o plano Real, considerado um dos mais bem – sucedidos planos de estabilização da economia brasileira. De fato, obteve sucesso com relação a esindexação da economia, reduzindo substancialmente osníveis inflacionários. Os juros altos e o câmbio restringiram o crescimento econômico e agravaram o problema da deterioração das contas públicas.

Consenso de Washington: expressão cunhada pelo economista norte americano John Williamson, que lecionou na PUC/RJ. Trata-se se um decálogo de medidas liberalizantes e de ajustes sugerido para reformas nos países em desenvolvimentos, concebido noâmbito de organização sediadas ou vinculadas a Washington, como o FMI (Fundo monetário internacional) e o Banco Mundial.
Consenso de Washington é o conjunto de medidas que s compõe de dez regras básicas formulado em novembro de 1989 por economistas de instituições financeiras baseadas em Washington D.C,, como o FMI, o Banco Mundial e o Departamento de Tesouro dos Estados Unidos, fundamentadasnum texto do economista John Williamson, do internacional institute for Economy,eque se tornou a política oficial do Fundo Monetário desenvolvimento que passavam por dificuldades.
Independentemente das intenções originais de seu criador, o termo de Washington foi usado ao redor do mundo para consolidar o receituário de caráter neoliberal – na onda mundial que teve sua origem no Chile...
tracking img