Acidentes de trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2107 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ETEC LAURO GOMES

















Gestão de competências ii



















BRUNA RODRIGUES DA SILVA Nº07

3ºI

São Bernardo do Campo, março de 2012



Temas:

1- Acidentes de trabalho no Brasil e no mundo;
2- O que é CIPA;
3- O que é EPI;
4- O que é Adicional de Insalubridade;
5- O que é Adicional de Periculosidade.ACIDENTES DE TRABALHO NO MUNDO
A Organização Internacional do Trabalho, em documento recente apresentado no dia 28 de abril, Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho, calcula que 2,2 milhões pessoas morrem a cada ano no mundo devido a acidentes e doenças relacionadas com o trabalho, cifra que estáaumentando e que supera o número de mortos nas guerras. Além disso, a cada ano são registrados 270 milhões de acidentes de trabalho não fatais e 160 milhões de casos novos de doenças profissionais.
Só em 2006, no Brasil, 2.717 trabalhadores morreram em decorrência de acidentes de trabalho, segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), queapontam também que neste mesmo ano, 537.457 acidentes de trabalho foram registrados no Brasil, com um total de 8.383 trabalhadores incapacitados; 310 trabalhadores faleceram durante o trajeto trabalho-residência, 1.636 se aposentaram por invalidez decorrente de acidentes no trabalho e 3.786 por doenças profissionais. Quando comparados aos índices de 2005, os números revelam uma queda de 8.246acidentes de trabalho, além de uma redução de 49 mortes e 5.988 trabalhadores incapacitados. Mas apesar da queda nos números, Neste placar de mortes,
Segundo o estudo da OIT, o Brasil ocupa o 4º lugar em relação ao número de mortes, com 2.503 óbitos. O país perde apenas para China (14.924), Estados Unidos (5.764) e Rússia (3.090).
Em 2007, os casos de doenças ocupacionaiscresceram de forma elevada, pois foi adotada uma nova metodologia pelo Ministério da Previdência, que inclui no registro dos acidentes de trabalho as doenças ocupacionais.
O setor de construção civil, segundo ele, aparecia como o “grande vilão” na prevenção de acidentes de trabalho. Na atualidade, entretanto, a área de serviços assumiu a posição de grande vilão na prevenção de acidentes de trabalho, embora osetor da construção civil siga matando silenciosamente nas obras, com grande incidência de casos subnotificados.
Mas o que passa a figurar e já assusta são as micro e pequenas empresas, porque os registros mais comuns encontrados na Previdência Social são relacionados às doenças de Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho (DORT), ocasionadaspor posto de trabalho inadequado.”A LER, provocada por movimentos que se repetem ao longo da jornada e pelo ritmo intenso de trabalho, responde por 49% – quase metade – dos casos, de acordo com a Previdência Social. Entre as doenças mais freqüentes estão dores lombares e lesões de ombro e dorsais.
O segundo colocado no placar de acidentes de trabalho é a indústria de alimentos. O que indicaque o perfil das doenças do trabalho tem mudado conforme o avanço das tecnologias e que os principais registros do passado, ligados ao manuseio do chumbo, do algodão e de minerais, hoje dão lugar aos problemas relacionados à ergonomia, e que o maior número de registros está ligado a doenças com o uso do aparelho esquelético, quando o trabalhador é obrigado a ter um esforço muito grande.
Opróprio MTE alerta que os números oficiais relacionados à acidentes de trabalho não representam a realidade brasileira,devido à existência de empregos informais e de empresas não notificadas que atuam no país.
O QUE É CIPA?
 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes do trabalho, das...
tracking img