Acidentes de trabalho crescem no brasil e no mundo.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1383 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Acidentes de trabalho crescem no Brasil e no mundo.

1. OBJETIVO
Este trabalho tem o objetivo expor uma idéia do que acontece com os trabalhadores em seu ambiente de trabalho, mostrando a crescente quantidade de acidentes e os dados no Brasil e no mundo.
2. DESENVOLVIMENTO

Acidentes de trabalho
Os números de acidentes de trabalho vêm crescendo em todo o mundo, principalmente nos países emdesenvolvimento como o Brasil. Mas sua divulgação, quando feita, é diluída ou escassa. Para não “contaminar” o clima de “crescimento” ou de campanha que o país vive.
No mundo, cerca de 2 milhões de trabalhadores morrem anualmente em decorrência de acidentes de trabalho e doenças relacionadas ao trabalho; os acidentes respondem por cerca de 360 mil mortes.
Na atual fase, o capitalismo lança oônus da sua crise estrutural sobre a vida dos trabalhadores, na sua busca constante de arrancar uma maior taxa de lucro na superexploração do trabalho assalariado. Assim, a intensificação do ritmo de trabalho, a ampliação da jornada de trabalho, o trabalho terceirizado, a ampliação do desemprego, a diminuição de salários são características que o imperialismo impõe aos trabalhadores a fim decontrarestar sua crise de sobre acumulação de capitais e de superprodução de mercadorias.
O ritmo mais acelerado e a ampliação da jornada causam maior desgaste aos trabalhadores, que os tornam mais vulneráveis a acidentes, por vezes fatais. O trabalho terceirizado soma a estas condições a ausência de direitos trabalhistas que protegeriam o trabalhador. E o pesadelo do desemprego empurra os trabalhadoresa aceitarem precárias condições de trabalho e salários mais baixos. Esta situação é determinada, em última análise, pelo atual estágio de defensiva do proletariado na luta de classes no mundo, apesar da ampliação da resistência dos povos ao imperialismo nos últimos anos.
No Brasil
A recente “onda de violência” em São Paulo tomou conta dos meios de comunicação. Porém há dados alarmantes sobremortes em São Paulo que não ganham uma dimensão ao menos parecida. "Eu diria que é uma tragédia social. Morrer um trabalhador a cada uma hora e meia no Estado de São Paulo é mais do que a guerra do Iraque, do que a guerra do Vietnã e mais do que as mortes causadas pelas armas", alertou em outubro passado o coordenador da área de Saúde do Trabalhador da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo,Koshiro Otani (Folha on line, 30/10/2005).
Conforme matéria sobre o Dia do Trabalhador publicada, o número de acidentes de trabalho atingiu em 2004 seu maior índice em cinco anos, com a notificação de mais de 458 mil casos. Em cada 10.000 trabalhadores, 137 sofreram algum tipo de acidente, seja durante o horário de trabalho ou no transporte de ida ou volta ao local de trabalho.http://www.previdenciasocial.gov.br/AEPS2004/docs/4c30_01.xls

O número de mortes em acidentes de trabalho também aumentou terrivelmente ao longo das últimas décadas, de acordo com dados do Ministério do Trabalho e Emprego, evidenciando a piora das condições de trabalho.
período | mortes / 10 mil acidentes (média) |
década de 70 | 23 |
década de 80 | 42 |
década de 90 | 85 |
2000-2003 | 80 |
O Brasilestá entre os países com maiores índices de mortes por acidentes do trabalho no mundo, ficando atrás da Índia, Coréia do Sul, El Salvador. Em 2004, cerca de 2.800 trabalhadores perderam a vida. Se São Paulo responde por cerca de 50% destes índices, aproximadamente 1.400 trabalhadores paulistas morreram por acidentes de trabalho em 2004.
No campo, a situação é dramática, o transporte dostrabalhadores é extremamente precário. "As condições são piores que as dos animais. Às vezes, você vê um animal sendo transportado com divisórias, direitinho. No caso do homem, está misturado com as ferramentas de trabalho, em cima de carrocerias, causando acidentes graves de transporte, o que não deixa de ser acidente de trabalho", assinalou Otani.
No Brasil, as divisas auferidas pelo agronegócio,...
tracking img