Aborto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (456 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
2. TEMA


Aborto: Decisão ou Destruição?


3. PROBLEMA


O aborto é um direito de decisão ou uma destruição maquiada da vida humana?


4. OBJETIVOS


a) Apresentar a existência doaborto;
b) Quantificar e qualificar o aborto;
c) Apresentar os riscos e os problemas causados à mãe e ao feto;
d) Expor o que se tem feito para a Legalização e, também, os trabalhosrealizados para evitar o aborto.


5. JUSTIFICATIVA


Todos que hoje decidem pela vida ou morte do feto, já foram fetos, que além da mãe, receberam proteção da Lei e agora, como já estão crescidos enão precisam ser defendidos, defendem as abortantes sob a alegação de que a mulher deve escolher se quer ou não o Bebê. Como se o Bebê fosse um brinquedo que se pode desfazer quando quiser. Porém, se oBrasil é “mãe gentil”, não estaria, ela, matando seus filhos que “não fogem à luta”?
Afinal, onde começa a vida?
Até hoje é um mistério para os cientistas e para toda sociedade, pois buscam provas,“coisas concretas de algo abstrato”, a vida é um Dom, e não se consegue decifrar o Dom, está além da capacidade e dos olhos, microscópio, câmera e outros artifícios humanos.
Para entender e aceitar ondecomeça a vida é preciso desfazer de todos os conhecimentos humanos e abrir os olhos do coração para perceber o começo sensível e frágil da vida. Pois como explicar a satisfação de uma Mãe que, mesmoantes dos exames, já sente a presença do Bebê? E a do Pai que se emociona em saber da existência deste pequeno ser?
Por falar em coração, este mesmo, começa os seus batimentos antes de ser coração,já na terceira semana de gravidez e será que já não é um ser vivo?
Dizem que a vida começa a partir do sexto mês de gravidez, com isso, como explicar o nascimento da menina Célia com apenas 21 semanas,ou seja, cinco meses e uma semana, sobreviver e se tornar uma moça? (ABORTO?... NUNCA!... 40 RAZÕES, Professor Felipe Aquino).
Não se pode perpetuar o pensamento de que se o bebê...
tracking img