Aborto?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (766 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
No âmbito da disciplina de português foi-me proposto a realização de um texto argumentativo cujo tema escolhido por mim foi o aborto, com o objectivo de melhor desenvolver os meusconhecimentos a cerca do mesmo e em paralelo expor o meu ponto de vista. Hoje em dia fala-se pouco acerca do tema, prefere-se perder tempo com outros temas, que muitas vezes são menos graves. 
O aborto:Sim ou Não?
Actualmente é a pergunta que não quer calar-se. São muitos os que se acham no direito de atentar contra a vida alheia por mero capricho e este acto tem-se tornado cada vez mais vulgar. Écomum ouvir-se nos meios de comunicação social notícias de assassinatos, considerar-se crime e levá-los a julgamento, mas quando se fala do aborto, que é exactamente a mesma coisa, ou quem sabe até maisgrave, pois o feto não tem possibilidade alguma de se defender, simplesmente ignora-se!
Milhares de mulheres recorrem a esta prática e segundo a ONU, cerca de 70 mil/ano perdem as suas vidas. Mesmoas que o realizam com “sucesso” deparam-se com algumas consequências negativas como: o cancro da mama, infecções e o síndroma pós-abortivo, ou seja, aquele sentimento de medo, culpa, porque qualquerpessoa que cometa tamanho acto (a não ser que sofra de graves problemas psicológicos) vai viver o resto da sua vida com um peso na consciência e muitas vezes dirá: se eu soubesse…!
Todos sabemos queexistem outros milhares de mulheres que procuram apenas uma criança e não encontram, quando as que se consideram capazes de ocupar o lugar de Deus, que é o nosso criador cometem o aborto ebanalizam-no. Pessoalmente sou totalmente contra a realização deste acto, pois considero que ao praticar o acto sexual, ambos (a mulher e o homem) devem ser capazes de assumir o fruto desta prática. E surge aquestão: E quando este fruto surge de um estupro? Estou certa de que a mulher em causa não tem culpa alguma, mas a criança inocente que ainda não chegou a este mundo? Há que pensar na mesma, pois...
tracking img