Abdome agudo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2729 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Abdome Agudo

Introdução

Definição

O termo abdome agudo é amplo e compreende inúmeras situações clínicas. Alguns autores têm definido abdômen agudo como uma dor na região abdominal, não traumática, de aparecimento súbito e de intensidade variável associada ou não a outros sintomas. Geralmente com duração de horas até quatro dias, não ultrapassando sete dias. Em geral, necessitade intervenção médica imediata, cirúrgica ou não.
Com esta definição, podemos afirmar que a incidência deste quadro clínico nas unidades de pronto atendimento é grande, e todos os profissionais de saúde devem ter treinamento adequado para atuar corretamente diante destes casos.
Uma grande série de doenças musculares, gastro-intestinais, ginecológicas, urológicas, vasculares,psicossomáticas, cardíacas, parasitárias, pulmonares e intoxicações exógenas, dentre outras podem causar dor abdominal e até simular abdômen agudo.

Causas e Fatores predisponentes

O número de fatores capazes de gerar a crise do abdome agudo é grande. Muitos deles sequer são detectados. A maioria dos fatores causadores do abdome agudo, no entanto, está relacionada com a obstrução notubo digestivo, de dutos biliares e pancreáticos, dos ureteres, das trompas uterinas e de vasos. Oclusão intestinal, cólica nefrética e infarto mesentérico, por exemplo, são geradores do quadro.
Em outras oportunidades a obstrução não é total, mas favorece o surgimento de bactérias que provocam doenças (apendicite, colecistite, diverticulite, salpingite) ou produzem enzimas (pancreatite)capazes de gerar a crise de abdome agudo. Há também as perfurações que provocam dor intensa. Úlcera perfurada, perfuração da alça intestinal ou ruptura de um aneurisma fazem parte desse grupo.

Classificam o abdômen agudo, em:

* Inflamatório: apendicite, colecistite aguda, pancreatite aguda, diverticulite, doença inflamatória pélvica, abscessos intra-abdominais, peritonites primárias esecundárias, dentre outros.

* Perfurativo: úlcera péptica, neoplasia gastro-intestinal perfurada, amebíase, febre tifóide, divertículos do cólon, dentre outros.

* Obstrutivo: aderências intestinais, hérnia estrangulada, fecaloma, obstrução pilórica, volvo, intussuscepção, cálculo biliar, corpo estranho, bolo de áscaris, dentre outros.

* Vascular: isquemia intestinal, trombosemesentérica, torção do omento, torção de pedículo de cisto ovariano, infarto esplênico, dentre outros.

* Hemorrágico: gravidez ectópica rota, ruptura do baço, ruptura de aneurisma de aorta abdominal, cisto ovariano hemorrágico, necrose tumoral, endometriose, dentre outros.

Todos eles têm características próprias de história, exame físico, bem como rotinas diagnósticas.
DiagnósticoDiagnóstico clínico

O diagnóstico clínico é baseado na história detalhada e no exame físico. Na história é de grande importância a dor e os fatores a ela associados: duração, intensidade, características do início e migração. A presença de vômitos e seu aspecto, bem como o funcionamento do trânsito intestinal são também de grande valia no diagnóstico da dor abdominal aguda. A presença defebre, história de doenças pregressas, cirurgias prévias, histórico ginecológico e uso de medicamentos também são fundamentais.
O exame físico deve ser completo. Na inspeção pode-se observar distensões, cicatrizes cirúrgicas, hérnias, massas ou defeitos de parede abdominal. A ausculta fornece informações sobre a presença ou ausência de peristalse. A percussão pode revelar dor,hipertimpanismo ou macicez. Na palpação superficial e profunda, pode-se evidenciar defesa voluntária e involuntária, bem como a presença de massas, plastões e sinais de irritação peritoneal.

Diagnóstico laboratorial

- Hemograma – leucocitose e desvio à esquerda;
- Amilase e lipase – aumentadas nas pancreatites;
- EQU – para descartar alterações de trato urinário;
- Eletrólitos;
- Glicemia;
-...
tracking img