50 Anos de psicologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (929 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
No momento da comemoração dos 50 anos da psicologia, como profissão regulamentada no Brasil, é oportuno avaliarmos o amadurecimento e desenvolvimento de algumas questões que envolvem essaprofissão. Ao longo desses 50 anos, a psicologia cresceu como profissão em nosso país, Segundo o MEC, aumentou de 54 mil psicólogos formados em 1988, para 236 mil em 2010. E o numero de instituições de ensinocresceu 300%.
Dados obtidos de duas fontes de pesquisa, o livro Quem é o psicólogo brasileiro (CFP,1988) e uma pesquisa conduzida pela ANPEPP que resultou no livro O trabalho do psicólogo no Brasil(Bastos&Gondim, 2010).
Nos informa que:
- Cerca de 65% dos formados se inscreveram no CRP, ganhando condições legais para o exercício da profissão, a pesquisa também mostrou um aumento noexercício da profissão, já que os inscritos no CRP que atuam como psicólogos subiu de 70% para 84%, o que demonstra uma consolidação da profissão no país.
- 52% desses profissionais são autônomos e 48%assalariados, porém apenas 1|5 dos profissionais autônomos, vivem exclusivamente dessa condição.
- No campo de atuação, 67% dos psicólogos se vinculam apenas a uma área de atuação, sendo predominanteà área clinica com 53% dos profissionais, seguida, dos que atuam na área do trabalho e das organizações com 25,1% e na área educacional com, 9,8%.
- Com relação a inserção profissional, 40% dosprofissionais atuam no setor público, aplicando teste psicológicos(32,9%) e realizando psicodiagnóstico(29,6%). Contra 35% no setor privado e 25% no terceiro setor, que atuam realizando psicodiagnóstico(27,6%) e aplicando teste psicológicos(23,5%).
Através desses dados não podemos deixar de comprovarmos o crescimento e a consolidação da profissão de psicólogo nos últimos 50 anos, porém eles também nosremetem a antigas questões, que parecem ter progredido lentamente nesse período.
Como falou Mello em um estudo pioneiro na década de 60, num trecho do capitulo Uma defesa da psicologia...
tracking img