123456

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5840 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PMAM

CONCURSO PÚBLICO 2011
CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO NO
CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAL PM
CÓDIGO 03
CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAL PM (REGULAR) - PRÉ-REQUISITO: ENSINO
MÉDIO OU EQUIVALENTE
PROVA

3
INFORMAÇÕES GERAIS
1. Você receberá do fiscal o material descrito a seguir:
a) Uma folha destinada às respostas das questões formuladas na prova.
b) Este caderno de prova com oenunciado das 40 (quarenta) questões e uma folha para o rascunho da
redação.
2. Verifique se seu nome, seu número de inscrição e seu código são os que aparecem na folha de respostas.
3. Ao receber a folha de respostas, é obrigação do candidato:
a) ler atentamente as instruções contidas na folha de respostas;
b) Assinar a folha de respostas;
c) MARCAR SUA OPÇÃO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA.
4. As questõesda prova são identificadas pelo número que se situa à esquerda de seu enunciado.
5. O candidato deverá transcrever as respostas da prova objetiva e a redação definitiva para a folha de respostas,
que será o único documento válido para a correção da prova.
6. O preenchimento da folha de respostas dar-se-á mediante a utilização de caneta esferográfica de cor preta ou
azul, sendo de inteiraresponsabilidade do candidato. Em hipótese alguma haverá substituição da folha de
respostas por erro do candidato.
7. Esta prova terá duração improrrogável de 4 (quatro) horas. Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar
a folha de respostas.
8. O candidato somente poderá levar consigo o caderno de questões nos últimos 30 (trinta) minutos da prova.
9. Ao terminar a prova, chame o fiscal desala mais próximo, entregue sua folha de respostas e deixe o local de
prova.

Governo do Estado do Amazonas

Polícia Militar do Amazonas - PMAM - Concurso Público 2011

Língua Portuguesa
Na pele do outro (adaptação)
Eliane Brum
O cotidiano parece se repetir conforme o previsto
até que você é empalado por uma cena. Eu saía da loja de
um shopping de São Paulo, na tarde de sábado, quandoele
passou por mim. Não sei se era a forma como o ar se
deslocava de outro jeito ao redor dele, mas eu ainda não o
tinha visto e minhas mãos já se estendiam no ar para amparálo. Ou talvez fosse só impressão minha, uma vontade
estancada antes do movimento. Era um homem velho. Mas
mais do que velho, era um homem doente. Cada um dos
seus passos se dava por uma coragem tão grande, porque
até opé aterrissar no chão me parecia que ele podia
retroceder ou cair. Mas ele avançava. E porque ele avançava
na minha frente eu pude ver aquilo que outras partes de mim
já haviam percebido antes. Sobre a sua cabeça havia uma
peruca tão falsa que servia apenas para revelar aquilo que
ele pretendia esconder. E de uma cor tão diferente do seu
cabelo branco que parecia descuido de quem o amava ounão amava. Aquilo doía porque havia uma vaidade nele, a
preocupação de ocultar a nudez da cabeça. E a peruca mal
feita a expunha como um fracasso. A cada um de seus
passos de epopeia sua camisa subia revelando um largo
pedaço da fralda geriátrica. E assim ele avançava como uma
denúncia claudicante da fragilidade de todos nós.
Atravessando o corredor do shopping, lugar onde fingimos
podercomprar tudo o que nos falta, consumidos pelo medo
dessa vida que já começa nos garantindo apenas o fim.
Eu o seguia nesse balé sem coreografia quando
ouvi os risinhos. Olhei ao redor e vi as pessoas se cutucando.
Olha lá. Olha lá que engraçado. Ele tinha virado piada. Aquele
homem desconhecido deixara a sua casa e atravessava o
shopping. Para isso empreendera seus melhores esforços.
Tinhavestido a peruca para que não percebessem sua
calvície. Tinha colocado a fralda para não se urinar no meio
do corredor. E caminhava podendo cair a cada passo. E as
pessoas ao seu redor riam. E por um momento temi uma
cena de filme, quando de repente todos começam a gargalhar
e há apenas o homem em silêncio. O homem que não
compreende. Até enxergar seu reflexo no olhar que o outro
lhe...
tracking img