046205360655

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (861 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A Resolução 125/2010 do CNJ: a inserção da Mediação de Conflitos no âmbito do Judiciário Nacional
 
As técnicas alternativas de resolução de conflitos (conciliação, negociação, mediaçãoearbitragem) vêm, a cada dia, ganhando espaço no contexto jurídico internacional. Aqui no Brasil também não poderia ser diferente.
A crescente demanda de processos no Poder Judiciário, sob o ponto de vistadeacesso à tutela jurisdicional do Estado, pode ser encarada como avanço, possibilitando ao cidadão, cada vez mais consciente dos seus direitos, a busca de sua efetivação através do processo judicial. Aoutra face da moeda é conhecida por todos nós, operadores do Direito e, principalmente, pelo jurisdicionado, que não consegue obter essa tutela de forma satisfatória.
O legislador, na tentativa deamenizar esse quadro, erigiu a “duração razoável do processo” ao status  de garantia constitucional (art. 5º, LXXVIII), porém a realidade do Judiciário em todo o país se ressente da falta de estruturapara cumprir adequadamente esse dispositivo.
Desta feita, na busca de contribuir para a implementação do que denominou de “política pública de tratamento adequado dos problemas jurídicos e dosconflitos de interesses”, o Conselho Nacional de Justiça editou a Resolução nº 125, publicada em 29 de novembro de 2010.
A Resolução determina que os Tribunais brasileiros, no prazo de quatro meses a partirda publicação, implantem os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania, responsáveis pela realização de sessões de conciliação e mediação, conduzidas por profissionais devidamentehabilitados nas técnicas de solução alternativa de litígios, os quais devem passar por um processo de capacitação continuada.
A conciliação já é normalmente, incentivada em alguns contextos do processojudicial. A mediação, ainda não tão difundida nos meios jurídicos, pode ser entendida como a técnica não-adversarial de resolução de conflitos, onde a decisão é construída coletivamente pelas partes...
tracking img