004642472534

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2060 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ










DANIELLY ALCÂNTARA












ARQUITETURA DE INTERIORES: o uso de móveis planejados nas moradias de interesse social, uma proposta para os apartamentos do Conjunto Mucajá,






















MACAPÁ
2013

DANIELLY ALCÂNTARA






















ARQUITETURA DE INTERIORES: o usode móveis planejados nas moradias de interesse social, uma proposta para os apartamentos do Conjunto Mucajá,
.

Projeto apresentado como requisito parcial de avaliação de avaliação da disciplina ministrada pelo Prof. Marcos Monteiro da Faculdade CEAP.
















MACAPÁ
2013
APRESENTAÇÃO

O projeto de pesquisa aqui apresentado tem afinalidade de propor a otimização de moradias destinadas a população menos favorecida de Macapá, principalmente as que receberam apartamentos no Conjunto Mucajá. Pois, os móveis populares ofertados no mercado local não são compatíveis com o espaço das moradias ofertadas pelos programas nacionais de habitação.
 

TEMA

ARQUITETURA DE INTERIORES: o uso de móveis planejados nas moradias deinteresse social, uma proposta para os apartamentos do Conjunto Mucajá,

PRLBLEMÁTICA:

Como otimizar os apartamentos do Conjunto Mucajá utilizando móveis planejados através da arquitetura de interiores a baixo custo?

OBJETIVOS

a) GERAL:
• Construir um projeto de organização interna para apartamentos no Conjunto Mucajá utilizando móveis planejados a um baixo custo otimizando oespaço.
b) ESPECÍFICOS:
• Investigar quais as origens históricas do mobiliário residencial no Brasil;
• Verificar quais os materiais indicados para produção de móveis planejados que possibilitem o barateamento da otimização de moradias para população de baixe e média renda;
• Construir um projeto arquitetônico de interiores para uma família de cinco pessoas, sendo,marido, mulher, filho e duas filhas.

JUSTIFICATIVA

O desejo máximo do brasileiro está na aquisição da casa própria, bem maior que as pessoas almejam e, na grande parte dos casos, o de maior valor que adquirem ao longo da vida
Em vista disso, é o bem que requer mais tempo e esforço para ser adquirido e, portanto, a satisfação com esse “produto” deveria ser total. Porém, não é assim queacontece, na grande maioria das vezes essa aquisição é baseada no custo, ficando os aspectos de qualidade, durabilidade, adequabilidade e conforto relegados a segundo plano.
Estas últimas características que devem ter uma residência ficam inviáveis, principalmente para a classe baixa e média da população brasileira, pois, profissionais qualificados que atendem a organização do ambiente interno, designede interiores e arquitetos de interiores, significa um custo que estes grupos sociais não conseguem pagar.
Hoje existe um importante ramo da arquitetura que se preocupa em atender a este importante e significativo mercado, através do que convencionalmente se chama de arquitetura inclusiva.
Somente me deparei com esta realidade depois que um casal procurou a empresa que eu trabalho querendosaber o custo de um projeto e de móveis para sua residência. Ao perguntar o que pensavam, disseram que moravam no Conjunto Mucajá e estavam encontrando bastante dificuldade em organizar os móveis e eletrodomésticos que já possuíam com o tamanho do apartamento, que na sua antiga moradia, era possível, mas agora não.
A empresa que trabalho somente atende clientes da classe média alta e alta, dasociedade local, quando comentei a média do custo de um projeto e dos móveis para o espaço apresentado eles disseram que não seria possível pagar.
Isso me chamou bastante atenção, pois é comum ver em propagandas de televisão os governantes locais anunciarem conjuntos como o Mucajá, alguns em fase final de acabamento, como o Macapaba e o Conjunto do Forte. Isto é uma tendência local e nacional a...
tracking img